89,33% dos Servidores REJEITAM contraproposta do Governo. E aí, Nakano?!

Mesmo o frio de 9° graus não espantou os muitos Servidores presentes na nossa assembleia, 19 de maio. Apresentamos aos companheiros o resultado da audiência de conciliação realizada pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Já era esperado, então não foi grande surpresa: a Prefeitura bateu o pé nos 3% de reajuste salarial. Sem qualquer novidade no sentido de atualização do índice, às 19 horas, iniciamos a contagem dos votos da categoria sobre aceitação ou não da proposta do Governo. Tivemos 1.416 trabalhadores votantes!

Esse momento de escrutinação, inclusive, foi transmitido AO VIVO na página oficial do SFPMIS. Além da coordenação dos nossos diretores, tivemos a presença da vereadora Irmã Rose e do vereador Tonho Paraíba.

O PLACAR FOI O SEGUINTE:

SIM – 140 (9,88%);
NÃO – 1.265 (89,33%);
NULOS/BRANCOS – 11 (0,77%);
TOTAL DE VOTOS – 1.416 (100%).

O resultado foi apresentado em forma de ofício ao prefeito Nakano, secretários e à Câmara Municipal.

Nosso advogado Dr. Rafael Ceroni Succi tirou dúvidas dos presentes e acompanhou a votação a fim de dar todo amparo jurídico ao ato. “Respeitamos a vontade do trabalhador e, mesmo com ciência da precariedade dos 3%, se as urnas dissessem SIM na maioria, assim seguiríamos. Quanto aos dias parados, esperamos da Prefeitura abertura no sentido de repor as horas e, deste modo, não prejudicar quem buscou heroicamente seus direitos através da greve.”

ENCAMINHAMENTOS

O Servidores aprovaram por unanimidade o encerramento da greve. O único caminho identificado neste momento para avanços na Campanha Salarial é via judicial. Portanto, também por unanimidade, foi aprovado o ingresso de ação na Justiça no intuito de obrigar a Administração a cumprir a lei e nos dar, ao menos, a reposição inflacionária.

Nosso presidente Adalberto Félix comenta:

Temos o compromisso de cobrar do prefeito Francisco Nakano a reposição inflacionária. Faremos isso periodicamente, independentemente de ações na Justiça ou de futuras negociações. Ele prometeu valorizar o funcionalismo e, neste momento tão importante, nos abandonou. Teremos impressos mensais para lembrar a população dessa promessa”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *